segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Apelo aos empresários de TI

A ANETIE está a fazer uma campanha de angariação de novos sócios. Trata-se da Associação Empresarial mais representativa das empresas de Informática e Electrónica, em Portugal. Neste momento, o Presidente da Direcção da ANETIE exerce também o cargo de Vice-Presidente da CIP, o que dá à Associação e ao Sector uma visibilidade nunca antes conseguida. Mas a visibilidade de nada serve se não existir representatividade. É, por isso, muito importante, que as Empresas nacionais de TI se associem à ANETIE.

Para mais informação, aqui está a missiva enviada no âmbito da campanha:

"Exmo(a). Senhor(a),

A sua empresa é importante para o desenvolvimento do Sector. Aproveite as vantagens de ser associado, porque a ANETIE - Associação Nacional das Empresas das Tecnologias de Informação e Electrónica, está vocacionada para defender os seus interesses e ajudá-lo no crescimento do seu negócio.

Ser associado da ANETIE possibilita-lhe:
  • Pertencer à associação de referência do Sector, com 15 de anos de existência, que engloba mais de 100 empresas e com grande representatividade institucional – Membro e Vice-Presidente da CIP e da AIP, com representação no Conselho Económico e Social, entre outros.
  • O acesso a Programas Co-Financiados de Internacionalização, Formação e Certificação.
  • O acesso a Missões Empresariais Co-Financiadas.
  • Conjunto de Serviços Gratuitos: Informação do Sector, Informação de Negócio, Estudos sectoriais, Apoio Jurídico, Destaque no site da ANETIE.
  • Vantagens – Descontos até 50% em alguns tarifários e condições especiais nas Comunicações (PT , Vodafone e TMN).

Não perca esta oportunidade de se tornar associado da ANETIE com Isenção de Jóia e de Quotas no 1º Semestre de 2011.

Basta fazer o download da Proposta de Admissão, preencher, assinar e enviar-nos por fax (214 134 663) ou digitalizada por e-mail (passis@anetie.pt).

Faça também o download das Vantagens para Associados.

Esta campanha é válida até 31 de Dezembro de 2010.

Para qualquer esclarecimento, não hesite em nos contactar.

Atenciosamente,

Patricia Assis

Tel: 214 134 660

passis@anetie.pt"

sábado, 4 de dezembro de 2010

OpenOffice em 21% dos PCs alemães

Usando uma técnica engenhosa que se baseia em analisar os tipos de letra instalados nos PCs que acedem a um site bastante popular, uma equipa alemã conseguiu apurar a percentagem de utilização do OpenOffice e de outros pacotes concorrentes.

As percentagem apuradas para a Alemanha indicam que o OpenOffice está instalado em cerca de 21% dos PCs. Os resultados da análise deram os seguintes resultados:
  • OpenOffice: 21%
  • MS Office 72%
  • Apple iWork 1,4%
  • Wordperfect 2,7%
Os países em que a adopção do OpenOffie vai mais adiantada são:
  • Polónia - 22%
  • República Checa - 22%
  • Alemanha - 21%
  • França - 19%
  • Noruega - 18%
  • Itália - 18%
  • Espanha - 15%
Infelizmente não há dados para Portugal.

O estudo está publicado na webmasterpro.

Edição de vídeo em Linux

Aqui há umas semanas atrás foi publicado no Vimeo um spot de vídeo feito em Portugal, só para demonstrar que é possível fazer edição de vídeo em Linux.

Há uns tempos andei a investigar este assunto e fiquei muito desiludido. Agora parece que a coisa está a evoluir para melhor.

Aqui está o vídeo, que foi produzido com o kdenlive. Experimentei no meu Ubuntu 10.10 e parece funcionar.


Linspotting from Caroline Pimenta on Vimeo.


É pena que as universidades portuguesas não participem mais em projectos open source como o KDE.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Normas abertas em discussão no Parlamento Português

"A 9 de Dezembro de 2010 vai ser debatida na Assembleia de República uma proposta sobre a adopção de Normas Abertas (Open Standards) nos sistemas de informação do Estado.

É da maior importância a adopção de Normas Abertas em Portugal, à semelhança do que já acontece em países como a Espanha, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Suécia, Noruega, Hungria, Alemanha e França.

A adopção de normas abertas permite:
• melhor interoperabilidade entre produtos;
• reforço das condições de concorrência;
• ajuste dos preços ao real valor das soluções.

As Normas Abertas resolvem o problema dos verdadeiros “contratos de exclusividade” na utilização de formatos e protocolos que impedem a livre escolha de fornecedores, e que todos os anos oneram o país em dezenas de milhões de Euros. As Normas Abertas dão aos cidadãos liberdade de escolha na sua relação digital com o Estado.

A ESOP – Associação de Empresas de Software Open Source, apoia inequivocamente esta iniciativa.

A continuidade da actual situação eterniza os casos de “fornecedor único garantido” e os gastos insustentavelmente elevados em licenças de software [1]. A adopção de Normas Abertas serve o interesse comum."

Fonte: ESOP

(in)Segurança digital

É por estas e por outras que a utilização de certificados digitais não descola.

Que raio de mensagem é esta?





Alguma vez um utilizador se vai sentir seguro com uma mensagem feita para meter medo e não explicar o que se passa realmente?

"Operações de certificado digital em seu nome"?

Só mesmo alguém que é obrigado a isso é que diz que sim. :-(